O que é o DRE? (Demonstrativo de Resultados do Exercício)

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Kit DRE - Planilha Modelo + Tutorial

Kit totalmente gratuito para você alavancar sua gestão empresarial e conhecer de maneira organizada os números do seu negócio

Muitos donos de empresas que conheço não conhecem a importância do DRE (Demonstrativo de Resultados do Exercício). Aliás, muitos nem sabem como andam os resultados de sua empresa, não conhecem se ela está gerando lucros.

E isso nada tem a ver com não saber o que fazer, pois o DRE que pode ser uma simples planilha de excel, ou parte de um sistema ERP da empresa, é uma ferramenta muito simples de ser preenchida e que lhe dá todas essas informações vitais, para saber como anda a SAÚDE do seu negócio.

Disse saúde, pois é exatamente isso que o DRE nos informa, ou seja, como está o negócio, se está saudável e gerando lucros todos os meses, ou se está debilitado, não conseguindo gerar o lucro e às vezes gerando prejuízo.

Num sistema de ERP que talvez você já possua, as informações devem ser lançadas todos os dias e no final de um período, semana, mês, trimestre ou ano, você ou alguém (financeiro de sua empresa) gera o relatório que lhe mostra esses resultados.

Se você não tiver um ERP (sistema) que te ajude, uma planilha simples pode lhe dar a mesma informação e vamos lhe explicar abaixo, como ela deve ser e o que deve contemplar para que você tenha acesso às informações.

Em resumo ela deve conter todos esses campos e informações, como segue:

DRE (Demonstrativo de Resultados do Exercício) – APURAÇÕES DOS RESULTADOS

 

Faturamento/ Receita:

Esse número traz o valor de faturamento e/ou receita de seu negócio num determinado período, vamos aqui considerar um determinado MÊS.

Custos Variáveis:

Em resumo traz o valor da somatória de todos os seus custos que VARIAM com a VENDA do seu negócio no período considerado, ou seja, os gastos com tudo que existiu em razão da venda, e aqui como nos outros dados, estamos falando do Regime de Competência, e não CAIXA, ou seja, valores gastos comprovados com emissão de notas fiscais ao longo desse período. Alguns exemplos com a finalidade de deixar mais claro:

  • Primeiramente, custo com fornecedores das mercadorias utilizadas para vender seus produtos.
  • Em segundo lugar, custo da Mão de Obra DIRETA, na produção (salários e impostos).
  • Temos em seguida o custo de Frete.
  • Em quarto lugar, custo com Comissões de vendedores.
  • Em quinto, porém não menos presente na vida empresarial temos, impostos referentes à venda de seus produtos.

E-book

Do Planejamento à Ação

Neste E-book compartilhamos dicas de Planejamento e vamos além. Dividimos com você 25 estratégias para incrementar seus lucros hoje mesmo.

capa-ebook-do-plan-a-ação

 Margem de Contribuição:

Decerto, essa informação, já é muito simples de obter, pois trata-se da diferença entre o Faturamento e os Custos Variáveis, ou seja:

  • Faturamento (-) Custos Variáveis.

 

Custos Fixos:

Embora seja um termo conhecido, muitos empresários ainda não conseguem distinguir os custos fixos dos variáveis.

Custos fixos são aqueles que NÃO VARIAM com a VENDA, ou seja, aqueles que temos que pagar vendendo ou não naquele período, também sempre considerando o Regime de Competência ao longo desse período. Alguns exemplos para esclarecer:

  • Aluguel do imóvel onde está instalado.
  • Salários dos funcionários, que não sejam da produção.
  • Pró-labore dos sócios.
  • Horas extras.
  • Impostos referentes à folha de pagamento.
  • Acordos trabalhistas.
  • Telefone, água, energia elétrica.
  • Uniformes e EPI´s.
  • Manutenção de equipamentos.
  • Sindicatos/ contador.
  • Tarifas e juros bancários.
  • Material de consumo/ limpeza, etc.

 

Kit DRE - Planilha Modelo + Tutorial

Kit totalmente gratuito para você alavancar sua gestão empresarial e conhecer de maneira organizada os números do seu negócio

 Resultado Líquido sem Investimentos:

Aqui novamente temos uma conta muito simples, pois é a diferença entre a Margem de Contribuição e os Custos Fixos, ou seja, o LUCRO obtido na operação antes dos Investimentos:

  • Margem de Contribuição (-) Custos Fixos

 

Investimentos:

Similarmente, aqui devemos relacionar todos os gastos que temos no mesmo período com os investimentos realizados, também em Regime de Competência, da mesma forma, seguem alguns exemplos:

  • Equipamentos/ máquinas de produção.
  • Leasing ou consórcio de veículos.
  • Terremos ou imóveis adquiridos em nome da empresa.
  • Ações de Marketing para gerar mais vendas.
  • Retirada de Dividendos dos Sócios, etc.

 

 Resultado Líquido com Investimentos:

Aqui temos então para finalizar uma conta também simples, pois é a diferença entre o Resultado Líquido sem Investimentos e os Investimentos, ou seja, o LUCRO FINAL da operação:

  • Resultado Líquido sem Investimentos (-) Investimentos

Todas essas informações devem ser lançadas diariamente em uma planilha mensal e que tem uma última coluna que é o resumo de todos os dias do mês. Após o lançamento do último dia, você saberá qual foi o resultado do seu negócio naquele mês. Sua planilha pode também contemplar uma planilha RESUMO, onde constam todos os meses e assim você acompanhará a evolução dos resultados acumulados e tendências de fechamento do seu resultado anual.

Espero que essas informações tenham sido de grande valia para você, e se quiser pode utilizar uma planilha que poderá descarregar no botão abaixo, para iniciar o aprendizado sobre ela e implementá-la o mais breve possível.

Lembre-se:

O Sucesso vem com o trabalho e o CONHECIMENTO, e isso nos leva a perfeição.

 

Vanderlei Garcia

VANDERLEI GARCIA

ActionCOACH CAMPINAS

“Desenvolver o empresário fazendo que trabalhe PARA o seu negócio e não NO seu negócio move minha atuação em cada ação que tomo e acredito que todos são capazes de alcançar resultados excelentes por meio do business coaching.”

Compartilhe conosco seus comentários...